Newsletter

Receba informações via e-mail

Des-inscrever    



Patologias

04 Principais Perguntas e Características sobre Ansiedade 3

Instituto OlhosDaAlmaSã

Obs.: Este material deriva de diversas entrevistas feitas ao analista, psicólogo e pesquisador em saúde mental Jorge Antonio Monteiro de Lima que foram  coletadas em diversos programas de rádio, jornais, televisão, enviadas ao web site do Instituto OlhosDaAlmaSã, e a outras participações junto a mídia. Também agregamos perguntas desenvolvidas pela assistência   nas inúmeras palestras desenvolvidas todas compiladas neste site. Questionamentos mais comuns aos dias de hoje. Por isto neste material mantivemos a linguagem coloquial rotineira, visando uma melhor assimilação do leitor.

09) Ansiedade e obesidade tem alguma ligação?

Jorge Antonio Monteiro de Lima - Tanto perder quanto ganhar peso tem ligação com a ansiedade. Isto ocorre pelo fato de haver uma ligação direta entre o sistema nervoso, nosso humor  e o aparelho digestivo. Uma pessoa com ansiedade poderá descontar esta comendo demasiadamente ou perdendo o apetite. Neste sentido cada caso será único e a situação será bem subjetiva.

Um dado estatístico de nossas pesquisas dos pacientes que acompanhamos em casos de ansiedade por exemplo  em 60% apresentavam complicações gástricas como gastrite nervosa, úlceras, perda de peso, obesidade ou sobrepeso, dentre outros problemas. Um fato que nos chamava a atenção é que inúmeros destes casos não eram diagnosticados corretamente tratando exclusivamente dos problemas gástricos.Com as terapias e uso de medicação o paciente assim que melhorava voltava a sua condição natural com o desaparecimento de tais sintomas. Agora não podemos deixar de observar a estreita ligação entre ansiedade elevada e os transtornos alimentares.

Em especial a obesidade vem associada a fortes tensões físicas, dores no corpo, apatia e a compulsão alimentar cuja base é o estado alterado da personalidade. Esta voracidade emergente é facilmente perceptível a hora da refeição. A insaciabilidade, o comer sem fim tudo isto vem de uma ansiedade intensa. Pela respiração a percebemos. Sempre acelerada, forte e curta. Relaxamento nenhum.

Assim devemos perceber que nos casos de ansiedade é natural encontrarmos problemas gástricos associados diversificados.

10)  Uma pessoa ansiosa pode ficar muito irritada, nervosa e passar a brigar muito?

Jorge - Sim as alterações de humor em especial a irritação são extremamente comuns a quem tem ansiedade. Pelo fato do paciente não estar bem, em geral ele projeta seu mal estar no mundo. Isto o torna agressivo em potencial. Esta irritabilidade liga se a perda de prazer na vida.

Outro fator que torna um indivíduo agressivo e irritado são os problemas de sono. Qualquer pessoa se ficar sem dormir direito tenderá a de certa forma perder seu controle, ficar com o humor oscilante de forma extrema, e a ficar irritado. Podemos observar isto em crianças pequeninas, e em pessoas doentes quando estas tem dificuldades para dormir.

A carga de estresse alta da mesma forma deixa qualquer um irritado e ou mal humorado.

A ansiedade e o estresse são passaportes para a alienação, massificação e o egoísmo. Um ser perdido vai viver mal e isolado mesmo estando cercado de outras pessoas.

Por isto insistimos no processo psicoterápico como revisão de valores, como alicerce para uma reforma íntima. Sem esta mudança de personalidade, de hábitos de vida os relacionamentos inter pessoais vão sofrer.

E um ser irritado, mal humorado, chato é algo a ser evitado em nossa sociedade. São pessoas infelizes, negativas que primeiro se fazem muito mal, segundo prejudicam, as vezes sem querer, quem está a sua volta.Educação, caridade, solidariedade são preceitos vitais para o equilíbrio e uma vida plena e saudável.

11) Quais sintomas podem aparecer numa criança com ansiedade,depressão e pânico?

Jorge - O diagnóstico na área da saúde mental para crianças é bem complicado, pelo fato de estar em  formação a estrutura da personalidade o que torna o indivíduo mutável. Alem disto as crianças não tem a comunicação bem lapidada o que torna o diálogo com um profissional de saúde diferente. Outro fator que dificulta , exigindo a especialidade do profissional no trato de crianças é a consciência corporal que ainda é bem precária. As crianças ainda não sabem o que é e não conhecem direito seu próprio corpo.

Nós do Instituto OlhosDAAlmaSã utilizamos os jogos lúdicos para estabelecer tais diagnósticos mergulhando no imaginário e  simbólico das crianças o que requer extremo cuidado e preparo. Particularmente não gosto de fechar diagnóstico especificamente para crianças. Um paciente adulto sabe diferenciar: hoje estou triste, mas ontem estava alegre, meu peito dói com a intensidade de uma pontada e nem sempre uma criança nos dá sinais assim tão claros do que ela tem, ao contrário ela fica , apática, isolada, chora e fica irritadiça tendendo mais a irritabilidade e a inquietude nos casos de ansiedade.  O surgimento de problemas alimentares é facilmente visível nas crianças tanto na obesidade quanto na perda excessiva de peso por não querer alimentar se. Na área de educação aparece o diagnóstico de

hiperatividade com freqüência nestes casos. O rendimento escolar cai e a dificuldade de concentração, de atenção, de memória é clara com a queda no rendimento escolar.

Na depressão especificamente notamos que a criança apresentará problemas de concentração distraindo se muito, o que levará a problemas de aprendizagem. A memória ficará comprometida e isto intensificará os

problemas. Há uma tendência natural nestes casos que a criança passe então a querer  fugir

da ansiedade que sente e uma "válvula de escape" é a agressividade, a criança quebrará seus brinquedos, fará chiliques e birras, brigará na escola e gritará muito e isto tudo em situações bem tranquilas e triviais.

O pânico na infância tende a manifestar se primeiramente como uma forte insegurança e medo com tendência a uma fobia. São geralmente crianças extremamente cobradas e tendem a uma maior introspecção que nos casos anteriores de ansiedade e depressão.  Esta cobrança familiar também está demarcada por um excesso de zelo para com a saúde:"Menino sai da água fria que você vai resfriar(isto em pleno verão)...

Quero ainda falar de um aspecto pouco abordado sobre o surgimento de psicopatologias em crianças. A tensão nervosa que geralmente está presente em lares em que os pais ou figuras de autoridade tenham crises nervosas ou estas doenças que são fatores altamente estressores. Alem dos aspectos hereditários e genéticos o fator do ambiente doméstico e de sua estrutura psíquica influenciam em muito na formação da psique de uma criança. Vou apontar uma observação colhida de um amigo veterinário, geralmente os animais domésticos que venham de lares em que existam pessoas com depressão apresentarão a mesma apatia de seu dono, nervosismo, irritabilidade como se estivessem também deprimidos. Isto pela falta de carinho e de  estímulos.Chamamos isto de ambiência que tem um forte. grau de contaminação psíquica em um ambiente. Se isto ocorre com freqüência com os animais de uma casa imagine com uma criança?

Peço aos pais portadores de algum tipo de doença psíquica cautela com suas   crianças e um diálogo aberto sobre tudo que está ocorrendo, explicando todos os detalhes. Subestimamos a capacidade de compreensão de uma criança e por vezes a tentamos proteger o que é um grave erro.

Ela necessita de informações claras sobre as alterações de humor de seus pais, que está doente, por que ele deve tomar remédio, e se possível a criança deverá até ajudar.

Orientei vários alunos no estudo na pesquisa sobre o que intitulamos de "Ambiência" em um lar no qual a doença mental instalou se. Os resultados são surpreendentes. Um lar com problemas gera pessoas mais atentas, no mínimo ansiosas. Em casos em que não ocorre o tratamento e que a doença torna se crônica, isto piora. Indo de um estresse acentuado a um transtorno pós traumático, os filhos quase que em sua maioria, bem como demais familiares com o convívio direto tendem a entrar em altos graus de ansiedade.

12) O fato de uma pessoa não saber o que quer da vida, estar apática, perdida ou de não gostar do que faz pode gerar ansiedade?

Jorge - É o que ouvimos diariamente em nosso consultório. Por isto falamos do atual problema com o que Jung chamou de individuação e James Hillman de psicologia do destino. Um ser perdido será ansioso. Não terá metas e objetivos de vida que entrem em consonância com seus próprios dons.

Por isto o papel da análise não é o de tratar uma doença, mas o de sobretudo auxiliar uma pessoa a encontrar o caminho de sua auto realização.

Ter equilíbrio para suportar as adversidades da vida.E paciência de esperar ate o caminho real surgir. Não terá sua identidade formada , nem maturidade afetiva para saber se diferenciar do meio, tornar se há massificado e alienado e consequentemente doente.

Comentários

Comentários são muito bem-vindos, por favor, poste o seu! Iremos avaliá-lo e sendo um comentário construitivo publicaremos ele aqui junto ao texto.

Nome:

E-mail:

Texto:


Recomendação

Se gostou do texto que acabou de ler, talvez queira recomendá-lo a algum conhecido. Use o formulário abaixo para fazer isso facilmente.

Seu nome:

Seu e-mail:


E-mail #1:

E-mail #2:

E-mail #3:

E-mail #4:

E-mail #5:

Al. Paranã, Qd. 128, Lt. 18, nº 1203, Setor Jaó, Goiânia  |  Cep: 74673-050  |  Fone: (62) 9 9187-5157  |  contato@olhosalma.com.br

 

Desenvolvido por:

LOBO's NET - www.lobosnet.com