Newsletter

Receba informações via e-mail

Des-inscrever    



Artigos

FINADOS
02/11/2017 00:00:00

Hoje é dia dos mortos, mas de qual morto falamos?

Há minha volta tantos mortos, pessoas sem vida, sem expressão, apáticas, frias, agressivas, que não se permitem rir, brincar, celebrar estragando tudo que um dia poderia ser bom... existem tantos mortos vivos presos a aparência, a drogas, a coisas materiais, querendo viver uma suntuosidade, preocupados com o que os outros vão pensar buscando luxo e aparência... são tantos mortos que vivem sem alma, sem emoção cultivando a afetividade destrutiva, o amor de negócio pondo preço em seu espírito... tantos mortos... que faltaria jazigos para tantas pessoas sem expressão de vida.

Há minha volta existem tantas pessoas miseráveis com dinheiro, status, presas em seu medo, covardia, raiva, orgulho, egoísmo... zumbis de criatividade com vários títulos: graduação, mestrado, doutorado, MBA... reproduzindo como papagaio sem teor crítico o que ouviram falar, denotando sua língua e pensamento mortos e alma sepultada...

Talvez eu também seja um finado por perceber a crise de valores a decadência do mundo que acreditei ser possível, um mundo destruído, jardim pisoteado, concretado....  no romantismo, dos sonhos de compaixão, respeito, cordialidade, morto nos vários fuzilamentos que passei nesta vida diante das várias hipocrisias sociais as quais fui submetido. Uma parte de mim foi assassinada... morta, esquartejada, lapidada... aquela parte que se importava com a vaidade e que valorizava pequenas coisas inúteis...

Parte de minha inocência foi degolada, parte persiste em acreditar e por isto questiono quem está morto?

Sou um saudosista por que meus mortos em mim continuam vivos: avó, madrinha, padrinho, amigos em pensamento me pego conversando com pessoas que já não mais estão aqui, imaginando... cheio de saudades até mesmo dos mortos vivos que diariamente me assombram...

Sim, tenho a minha volta finados com quem perdi o contato, mas que por algum motivo deixaram saudade... existir um dia dos mortos me faz questionar a graça da vida, a tradição de uma família, a lembrança de meus antepassados, o projeto de milhares de pessoas em minha genealogia que me fizeram estar aqui. Neste dia dos mortos quero ser e estar vivo para agradecer pelo dom da vida e que está se personifique com intensidade.

 Neste dia dos mortos boa vida!

Jorge Antônio Monteiro

 

Orientação Psicológica Online: www.jorgedelima.com.br

 

Instagram: @olhosdaalmasa

 

Facebook: https://www.facebook.com/olhosalmasa

Comentários

Comentários são muito bem-vindos, por favor, poste o seu! Iremos avaliá-lo e sendo um comentário construitivo publicaremos ele aqui junto ao texto.

Nome:

E-mail:

Texto:


Recomendação

Se gostou do texto que acabou de ler, talvez queira recomendá-lo a algum conhecido. Use o formulário abaixo para fazer isso facilmente.

Seu nome:

Seu e-mail:


E-mail #1:

E-mail #2:

E-mail #3:

E-mail #4:

E-mail #5:

Al. Paranã, Qd. 128, Lt. 18, nº 1203, Setor Jaó, Goiânia  |  Cep: 74673-050  |  Fone: (62) 9 9187-5157  |  contato@olhosalma.com.br

 

Desenvolvido por:

LOBO's NET - www.lobosnet.com